Saga Moove no Ironman Brasil

Saga Moove no Ironman Brasil

Mais do que uma prova, o Ironman é formado por histórias de superação. Veja como a Saga Moove ajuda os atletas a otimizar sua performance!


Eles são os atletas mais rápidos do mundo, mais resistentes, mais bem preparados e equipados. Superam a dor e o esgotamento físico e emocional para quebrar limites e mostrar que o ser humano pode, sempre, ir além. Eles são os homens de ferro, revelados por um dos maiores desafios do esporte mundial: o Ironman.


Para a Saga Moove a cultura esportiva é a mola propulsora de um estilo de vida em que os desafios foram feitos para serem superados. Cada produto e equipamento é pensado para otimizar treinos, potencializar performances e ajudar os atletas a testarem e ultrapassarem fronteiras.


Em 2023 mais uma vez a Saga Moove está junto com os participantes do Ironman Brasil, rumo ao campeonato mundial, apoiando atletas e oferecendo todo o suporte necessário em produtos e equipamentos das melhores marcas mundiais.


Venha saber mais sobre o Ironman e prepare-se para torcer junto com a equipe brasileira em todas as etapas da competição!


Como funciona e qual o percurso do Ironman?


O Ironman surgiu no Havaí, inspirado em uma dúvida entre amigos: qual das provas do triatlon é a mais desafiadora? Corrida, natação ou ciclismo? Como a resposta não é nada fácil, a ideia foi criar uma competição que reunisse os maiores desafios de cada modalidade.


Um ano depois da ideia original o Ironman ganhou sua primeira edição. Os participantes precisavam vencer uma prova de natação (travessia de 3,8 Km em Waikiki), ciclismo (pedalando 180 Km ao redor de Oahu, cidade sede da disputa) e uma maratona de corrida (42,195 Km em Honolulu).


Dos 18 inscritos, 3 abandonaram logo no início e outros 3 não conseguiram completar todas as provas. Dos 12 que chegaram ao fim, o vencedor foi o americano Gordon Haller. Ele levou 11 horas, 46 minutos e 58 segundos para finalizar o desafio, provando ser um verdadeiro homem de ferro.


No ano seguinte a prova já contava com 50 inscritos e a primeira participação feminina. Hoje cerca de 2 mil atletas profissionais e amadores participam das provas, que mudaram para uma ilha menos urbanizada do Havaí, a Big Island - ou Kona, como é mais conhecida.


As distâncias, porém, continuaram as mesmas:3,86 km de natação nas águas abertas da Baía de Kailua-Kona, um percurso de ciclismo de ida e volta à cidadezinha de Hawi, perfazendo um total de 180,25 km através do deserto de lava havaiano, e uma maratona de 42,195 km saindo de Keauhou, até a Ali'i Drive, rua principal de Kailua-Kona.


Novo formato tem Nice como co-anfitriã


Mas o Ironman volta a inovar em 2023, ganhando novo formato e uma cidade co-anfitriã: Nice, na Riviera Francesa. Com o campeonato mundial distribuído em duas sedes, os homens disputarão dia 10 de setembro em Nice e as mulheres em Kona, no dia 14 de outubro. A parceria continua até pelo menos 2026, mas com alternância das cidades entre homens e mulheres a partir do ano que vem.


Quem se interessou e quer participar deve saber que nada é fácil no mundo da competição. Afinal, as provas revelam os atletas mais bem preparados do mundo, então não basta se inscrever.


Só participam da competição os atletas mais bem ranqueados nas 27 etapas classificatórias de que acontecem ao longo do ano, em diversos países ao redor do globo.


Ironman Brasil 2023


No Brasil as provas do Ironman Brasil 2023 começaram no dia 16 de abril na Praia dos Ingleses, em Florianópolis; dia 28 de maio em Jurerê Internacional, também em Floripa; 9 de julho no Rio de Janeiro; dia 27 de agosto na Praia de Pajuçara, em Maceió; dia 24 de setembro em São Paulo, na USP; e dia 19 de novembro em Fortaleza, na Nova Beira-Mar.


Também é possível garantir a vaga por meio do sistema de pontuação anual – Kona Pro Ranking, um programa criado apenas para atletas de elite (ou alta performance).


Preparação intensa


Pode ser realizado individualmente ou em grupo, mas a maioria dos participantes prefere participar de forma individual. De uma forma ou de outra, um bom planejamento e preparação física são fundamentais.


E algumas dicas podem ajudar a entender como é importante contar com uma rotina bem estruturada de exercícios e bons equipamentos. Estes, aliás, não só otimizam a preparação física, mas também ajudam a evitar lesões desnecessárias, aumentando a segurança dos treinos.


Por exemplo, é muito importante aprender a nadar mais rápido. A natação é cerca de 10% do tempo total da prova. Então, um atleta que completa a natação em 80 minutos, deve treinar duro na piscina por um ano para abaixar seu tempo para 65 minutos.


Essa diferença de 15 minutos faz com que o atleta comece a pedalar muito mais descansado. Os batimentos cardíacos também ficam mais baixos e a fadiga muscular é menor, resultando em tempos mais rápidos no ciclismo e na corrida.


Ciclismo merece atenção especial


Já o ciclismo é a parte mais longa do Ironman. E deve ter atenção especial porque é justamente quando a chance de classificação pode ser conquistada ou perdida.


Então é muito importante saber escolher o tipo de percurso dos treinos. Em um local de descidas extremamente longas e técnicas, como em Nice, não adianta ser um bom escalador se não tiver muita habilidade em descidas. Você pode até ganhar 5 minutos subindo, mas pode perder 15 descendo. Então treine bastante as descidas.


Outro fator importante é em relação às lesões. É fundamental treinar com equipamentos de qualidade, por isso a escolha da bicicleta de alta performance, da roupa e da sapatilha, por exemplo, pode melhora significativamente o conforto e evitar o risco de lesões.

 

Determinação e conquistas


Na etapa principal no Havaí em 2022 os brasileiros bateram recorde de participação. Foram 107 atletas, entre amadores e profissionais, disputando os U$125 mil (cerca de R$612 mil) de prêmio para cada campeão. E 2023 promete resultados também bastante positivos.


Em maio de 2023, a capixaba Pâmella Oliveira conquistou o bicampeonato no Iroman Brasil, em Florianópolis. Com o tempo de 8h44min24seg ela ainda fez o melhor tempo de uma sul-americana e o segundo do Brasil.


No mundial de Kona no ano passado, Pâmella Oliveira não se sentiu bem e acabou abandonando o Mundial no km 70 do ciclismo. Com a vitória desse ano, ela igualou o número de conquistas da fluminense Fernanda Keller – que ganhou em 2004 e 2008.


Já Beatriz Neres, que fez apenas sua segunda prova, completou o Mundial de 2022 em 10h38min52s, na 32ª colocação entre as profissionais.


No masculino, o argentino Luciano Taccone foi o campeão Brasil 2023 em Florianópolis, com o tempo de 7h55min38s. Em segundo ficou o campeão do ano passado, o paulistano Ronaldo Colucci, que completou a prova em 8h00min44s.


Mas eles são apenas alguns exemplos de que com um treinamento bem planejado, equipamentos de qualidade comprovada e uma boa dose de determinação qualquer obstáculo pode ser superado.


Desafios e superações impressionantes


Sucessão de desafios: com seu corpo, sua mente, dificuldades nos percursos, condições climáticas adversas, e imprevistos que podem ocorrer a qualquer momento. Mas, antes de qualquer outra coisa, é um incentivo à superação e uma demonstração de que todos podem ir (muito) além do que se imagina.


E inspirações para romper barreiras não faltam. Em 2022 o triatleta catarinense Diego Rachadel treinava para a 20ª edição do Ironman Brasil quando bateu com o carro contra a traseira de outro veículo que parou subitamente.


O diagnóstico de lesão muscular de terceiro grau em ambas as coxas e um tempo de recuperação estimado em seis meses não foram suficientes para que desistisse. Depois de 4 dias sem andar e uma semana sem treinar, fez fisioterapia até a data da prova.


Já o americano Chris Nikic, de 22 anos, se tornou a primeira pessoa com Síndrome de Down a completar o Mundial Havaí, em 2022. Dois anos antes ele já havia rompido obstáculos ao terminar a competição da Flórida.


Em Kona, Chris terminou a prova em 16h31min28s, sempre acompanhado por seu guia, Dan Grieb, que lhe deu motivação e lhe fez companhia durante o árduo percurso.


Também em 2022 a participação da nordestina Ana Augusta, que ingressou no esporte em seguida a uma depressão pós-parto. E usar o esporte como tratamento funcionou. Logo na sua estreia no Ironman Kona, levou para casa o título de campeã mundial na categoria F3539, (faixa etária de 35 a 39 anos).


Juntos pela vitória em romper limites


Ao todo, a 23ª edição do Ironman Brasil, em Florianópolis, reuniu cerca de 1.800 atletas de todo o mundo e mais uma vez refletiu o compromisso da Saga Moove com a excelência esportiva e a promoção de um estilo de vida saudável.
Venha saber mais sobre a Saga Moove e aproveite para conhecer os produtos premium que vão ajudar a potencializar seus treinos!

Did you find it helpful?
LIKE
DISLIKE